ILUSÕES PERDIDAS
O jovem poeta Lucien Chardon decide deixar o interior da França e viver em Paris para tentar se realizar profissionalmente: ele ambiciona se tornar escritor. Com a ilusão de conseguir viver dessa atividade, instala-se na capital com dois originais prontos debaixo do braço: um livro de poemas e um romance histórico.Lucien consegue emprego na imprensa diária e descobre que o compromisso com a ética e a verdade não é o forte dos jornalistas. Na França de 1820, a corrupção, o suborno, as trapaças políticas e as artimanhas jurídicas fazem parte da profissão. Publicado em 1843, o romance é uma das obras-primas da literatura universal.
Ilusões perdidas faz parte da coleção Germinal, que reúne adaptações de grandes clássicos da literatura para o público jovem. A edição traz uma série de apêndices, com textos sobre a vida do autor, o contexto histórico e o início do Realismo na França e no Brasil.
R$ 39,90
Título original
ILLUSIONS PERDUES
Ilustrador
Odilon Moraes
Tradutor
Silvana Salerno
Capista
Celso Koyama
Adaptação
Silvana Salerno
Páginas
224
Formato
13.50 x 21.00
Lançamento
11/03/2016
ISBN + Código de barras
9788565765879
Autor: Honoré de Balzac
CONHEÇA TODOS OS TÍTULOS DE Honoré de Balzac
Info
Nasceu em Tours em 1799, filho de um funcionário público. Na infância, foi interno por seis anos em um colégio de Vendôme, e aos quinze anos se mudou com a família para Paris. Formou-se em direito e trabalhou com um tabelião. De 1820 a 1824 escreveu, com diversos pseudônimos, seus primeiros romances. Em 1825 se lançou, sem muito êxito, como editor, impressor e tipógrafo, e desenvolveu intensa atividade jornalística. Aos trinta anos, muito endividado, retomou a literatura com grande empenho e escreveu o primeiro romance com seu nome, A Bretanha. Nos vinte anos seguintes, escreveu cerca de noventa romances e contos, entre os quais muitas obras-primas, que receberam o título abrangente de A comédia humana. A respeito de sua obra, disse Balzac: “O que ele [Na-poleão] não conseguiu concluir com a espada, eu realizarei com a pena”. Faleceu em 1850, meses depois de se casar com Evelina Hanska, a condessa polonesa com quem manteve um relacionamento por dezoito anos.
Capa Capa Capa Capa Capa Capa
Coleção Germinal (4)
CONHEÇA TODOS OS TÍTULOS DA Coleção Germinal
Info
bio
Capa Capa Capa Capa
RECOMENDAÇÕES
Rodapé